fbpx

Todos os artigos de em Fabiano Marinho

Quebrando os mitos sobre a hipnose

Quebrando os mitos sobre a hipnose

Toda hipnose é auto-hipnose. A própria pessoa deve permitir o acesso ao seu subconsciente através de sugestões. No modelo de Gerald Klein, a mente é um estado de consciência ou subconsciência que possibilita a expressão da natureza humana, que não pode ser medida e nem é palpável.


Na hipnoterapia a pessoa NÃO conta segredos íntimos, NÃO tem a mente controlada, NÃO está em estado de sono, e a hipnose NÃO é um processo mágico.


São três níveis de acordo com um dos maiores hipnotistas do mundo: o Consciente, responsável pelo planejamento, raciocínio lógico e matemático, além da memória funcional (de curto prazo); o Subconsciente, pela memória de longo prazo, e especialmente emoções, comportamentos e autopreservação; e o Inconsciente, que é automático, como respirar.


Entre a mente Consciente e Subconsciente existe o fator crítico, que está lá sempre atento. Na hipnoterapia, você permite ultrapassar esse fator e acessar a mente Subconsciente, abrindo-se para um novo leque de aprendizado e comportamentos mais desejáveis. Ninguém é hipnotizado se não desejar.


HIPINOSE É LIBERDADE DE ESCOLHAS.

Enxaqueca: hipnose pode ajudar

Enxaqueca: hipnose pode ajudar


“A enxaqueca se diferencia de uma dor de cabeça comum porque começa fraca e latejante, na metade da cabeça, e vai aumentando progressivamente”, explica o Dr. Mauro Atra, neurologista do HCor que completa: “associa-se a essa dor a aversão a luz, barulho e odores, bem como náuseas e vômitos”. (Hcor)

A hipnoterapia pode auxiliar usando os modelos e os processos que já temos em nossa mente para diminuição de dores e melhoria de qualidade de vida.

Vícios: a hipnose pode ajudar

Vícios: a hipnose pode ajudar

Os neurônios desta estrutura são estimulados por reações emocionais, como recordações de desejo e prazer. Através da aprendizagem, os sinais ou alusões a recompensas passam a provocar explosões de dopamina (National Geographic). Estudos atuais demonstram que muitos vícios estão ligados a questões emocionais. A hipnoterapia é umas das terapias mais eficientes para se trabalhar com emoções.

Estresse: a hipnose pode ajudar

Estresse: a hipnose pode ajudar

O próprio corpo avisa que as coisas não vão bem, basta prestar atenção. Confira alguns sinais que podem indicar estresse: sensação de desgaste constante, alteração de sono (dormir demais ou pouco), tensão muscular, formigamento (na face ou nas mãos, por exemplo), problemas de pele, hipertensão, mudança de apetite, alterações de humor, perda de interesse pelas coisas, problemas de atenção, concentração e memória e ansiedade (Hospital Israelita Albert Einstein).

A hipnoterapia vai trabalhar nos ajustes dos processos mentais em busca de um relaxamento e a volta do uso natural do estresse, sem que este atrapalhe o dia a dia.